Homem que vendia simulacros de 38 no Facebook cometeu crime

0

Um usuário do Facebook com nome identificado em sua conta como ‘Francisco Wenio’ cometeu um crime ao comercializar simulacros. Essa rapaz de identidade duvidosa (provavelmente fake) infringiu pelo menos um dos artigos da LEI Nº 10.826, de 22 de Dezembro de  2003. O indivíduo anunciava a venda de simulacros de 38, ou como o mesmo referia-se ao seu produto, ‘espoletinhas’.

Foi em um grupo de troca e vendas bastante conhecido em Mossoró e região, que o  ‘Francisco Wenio’ anunciou tranquilamente os seus produtos na rede social. O ‘Bazar Dazamiga Mossoró’ que conta com mais de cem mil membros, virou palco de debates. Várias pessoas defendiam a venda e outro tanto retrucava o comercio de simulacros de 38.

O envolvido apagou a sua publicação após a repercussão, mas prints contendo a descrição do produto ainda circulam na web.

-Acabaram de chegar mais uma remessa de 38 espoletinha valor e mais detalhe do produto só mente no bp ou no zap 84 … – publicou o  ‘Francisco Wenio’.

Leia mais:
A polêmica em torno do auxílio-moradia para juízes
É anunciado concurso da Petrobras com mais de 350 vagas
Guardas de trânsito são flagrados em estacionamento irregular em Mossoró
Simulacros de 38

O termo ‘simulacro’, remete-se ao mesmo sentido de ‘imitação’ e ‘representação. Esse tipo de brinquedo foi muito popular no início dos anos 2000. De fato é uma reprodução de um revolver calibre 38.

Várias pessoas que comentaram contra o anuncio, alegavam que com tanta insegurança no Estado e com a semelhança do ‘brinquedo’, várias pessoas seriam vitimas se assaltos com esses artefatos.

Artigo infringido pelo vendedor de simulacros de 38

Art. 26. (Lei 10.826)-  São vedadas a fabricação, a venda, a comercialização e a importação de brinquedos, réplicas e simulacros de armas de fogo, que com estas se possam confundir.

Parágrafo único. Excetuam-se da proibição as réplicas e os simulacros destinados à instrução, ao adestramento, ou à coleção de usuário autorizado, nas condições fixadas pelo Comando do Exército.